domingo, 9 de dezembro de 2007

Aparar a Grama ou Cortar as Raízes?

Definitivamente aparar a grama, só corte as raízes se você tiver a mais absoluta das certezas de que é isso que você quer e que você não irá nunca mais desejar transar com aquela garota. O grande problema é racionalizar isso, geralmente quando iniciamos um namoro, quando começamos a nos apegar, costumamos cortar os outros laços, até por medo de perder quem está com a gente, peso na consciência, falta de vontade de estar com outra pessoa, o fato é que tendemos a nos afastar das outras meninas. De uma forma mais drástica, apagamos elas completamente, deletamos o celular dela do nosso, bloqueamos o MSN e colocamos elas como usuárias ignoradas no Orkut. Não retornamos mais as ligações, deletamos as mensagens no celular sem nem ao menos ter o trabalho de ler, sumimos de vez.. De uma forma mais educada, explicamos que estamos nos envolvendo com outra pessoa, que quer levar aquilo a sério, falamos do quanto especiais elas são, pra dar aquela levantada de bola (em vão), ou apenas inventamos uma estória qualquer e nessas horas, como somos criativos, não?.
De qualquer modo, quando afastamos a antiga parceira, qualquer coisa que você possa fazer ou dizer, isso vai magoá-la, mesmo que por mais nobre das razões, ela não vai gostar nem um pouco de ser abandonada. Isso por que uma mulher enxerga outra eternamente como uma rival, toda vez que uma mulher vê seu ex com outra garota ela diz a célebre frase: “Sou mais eu”. Essa rivalidade torna as coisas ainda mais complicadas para nós nesse momento, daí vem a velha conversa que muitos dizem que “Estou trabalhando muito”, “Sem tempo pra mim”, esse tipo de conversa ridícula que nenhuma mulher acredita. Existem várias mentiras que você pode inventar, algumas podem colar outras não, mas nunca diga que é por algum defeito dela ou por gostar de outra pessoa.
Normalmente, quando você faz tudo certinho, faz do jeitinho que ela gosta, ela vai querer te namorar, mas pra existir um namoro os dois têm que querer e você, por qualquer razão que seja, não quer. Só que ela não tem o dom da premonição, ela não sabe e continua a te ligar, dizer que quer te ver, tá com saudade, a verdade meu amigo, é que ela está viciada em você, parabéns.. As mulheres se apegam muito fácil, é como eu já disse, elas tendem a romantizar até um sexo selvagem na garagem do motel enquanto você a come sobre o capô do seu carro, mas algumas vezes, a culpa é nossa. Às vezes somos carinhosos demais, damos muita atenção, falamos coisas que não deveriam ser faladas para quem está afim apenas de sexo casual, portanto saiba manter uma distância, sem ser frio, é como Saint-Exupéry disse, "Tu te tornas eternamente responsável por tudo aquilo que cativas". Outra coisa que também pode dificultar no momento da separação é a quantidade de vezes que vocês se encontravam, por isso mantenha várias opções, evite ficar pegando apenas a mais gostosa, evite também ficar pagando romance, levando-a a restaurantes caros, programinha de namorados.. faça apenas o básico, afinal, o que você quer é apenas sexo, então deixe isso bem claro, chame pra sua casa pra ver um filme, pra conversar ou até beber alguma coisa, no máximo você pode levá-la a um bar, pra começar os trabalhos lá e finalizar o processo em casa. Fazer um jantarzinho pra ela na sua casa é uma boa também, desde que você saiba manter uma postura não tão romântica. É difícil no começo, ela vai notar que você só a chama para a sua casa, que não sai com ela em público, você começa a dizer que não é um cara baladeiro, gosta de ficar em casa, mas que um dia você sai com ela pra algum barzinho, pronto, você acaba de ganhar o tempo exato dela se acostumar com a idéia de ficar indo pra sua casa e começar a te ver apenas como uma fonte para matar a sede sexual.
Mas você não sente falta dela, não está com um pingo de saudade e num quer vê-la nem pintada de quatro, você tá querendo que ela suma, desapareça desse mundo, ou simplesmente quer colocá-la em “stand by”, começa a namorar sério, o romance dos seus sonhos, mas... Algum tempo depois o namoro já não é mais o mesmo, o sexo já é feito com uma determinada obrigação, o toque da sua namorada no seu celular já foi trocado de uma baladinha romântica para a marcha fúnebre, toda hora que ela te liga é um momento inapropriado e a casa dela, de repente parece ficar bem mais longe que o habitual. A coisa tá ficando feia, e sua namorada também, você não a vê mais lá como essas coisas, o beijo dela é insuportável e os defeitinhos bobos de antes são coisas inaceitáveis para uma mulher fazer. E agora José?.. O namoro acabou... Você está só, literalmente só, você vai passando a agenda do seu celular, juntamente com nomes dos amigos, todos comprometidos, sem tempo pra você, você vai ouvindo ao longe o eco das teclas que você aperta pra passar aquela lista bem curta. Nada mais é como era antes, todas as gatinhas que você não tinha tempo de vê-las, pelo motivo de estar com outras, já se foram, você não tem mais contato com nenhuma delas, é nessa hora que você se arrepende de ter começado a namorar com “aquela porra”, antigamente chamada de “minha princesa”. Nesse momento tenho duas notícias para te dar, uma boa e outra ruim... a boa é que isso tudo tende a mudar, com o tempo novas candidatas e quem sabe até as antigas tendem a aparecer, a ruim é que se você tivesse sido mais esperto, você poderia estar virando os olhinhos nesse momento enquanto lê esse post, c’est la vie.
A primeira coisa que nós (humanos) tendemos a fazer quando acabamos um relacionamento é procurar a ex. Talvez pela fragilidade, talvez pela falta de opção, talvez as duas.. Mas são as primeiras a quem pensamos procurar. Porém fomos muito duros com a separação, falamos coisas ruins que a magoaram, ela levou um belo chute na nádega e hoje ela que quer te evitar e tá conseguindo. De uma forma ou de outra, encontramos algumas delas novamente, depois de te dar aquele “oi” com aquele sorriso de canto de boca elas viram as costas e saem de perto de você. Bom.. quando você conseguiu manter a distância certa, é muito fácil tê-la de volta, mesmo que ela tenha se apegado a você, ela não vai se sentir enganada com o fim da relação, mas quando você pagou romance demais, vai ser complicado, mas não impossível, depende de como tudo acabou.

Uma bela vez... ou melhor, uma bela época, onde minha vida estava perfeita, solteiro, morando sozinho, sarado, os negócios iam muito bem, obrigado e tinha tanta mulher na minha cola que algumas se perderam pelo caminho por eu não ter tempo de vê-las, eu tinha que dar assistência às minhas prediletas (quatro ou cinco delas). Era tanta mulher atrás de mim, que certo dia transei com 3 delas, no mesmo dia, mas em horários diferentes. Uma coisa nesse dia ainda desperta meu riso hoje, uma coisa bem tosca a se fazer, mas realmente na hora não deu pra ser diferente... Estava eu com uma guria na minha casa, foi a primeira das três, transamos duas vezes e fui deixá-la em casa, na volta meu celular toca, era outra garota com a qual eu adorava transar, mas tínhamos tido uma discussão no outro dia, ela me perguntou onde eu estava, por sorte eu estava dando a volta com o carro por trás do meu prédio, ela disse que estava embaixo do meu prédio, que me esperava e desligou o celular na minha cara. “Puta que o pariu”, pensei, o quarto que eu dormia tava uma zona e devia estar com cheiro de sexo na cama, travesseiro, se brincar até no teto, fora que eu ainda estava com o cheiro da outra garota entranhado nas minhas roupas e no meu corpo, não tinha nem tomado banho depois do fato consumado. Óbvio que nenhuma das minhas ficantes sabia da existência uma das outras, elas sempre vigiam meu orkut, mas até pelo meu jeito de ser, elas sabem como se comportar de uma forma discreta. Quando cheguei no meu prédio ela estava lá na portaria, a minha única escolha foi passar direto por ela e chamá-la pra subir meio distante, iria fingir que ainda estava chateado e evitar uma aproximação até chegar ao banheiro e me limpar devidamente. Não adiantou, minha estratégia foi por água a baixo quando as portas do elevador se fecharam, ela voou em mim, depois de matar a sede com a bebida, ela queria me usar pra matar suas outras necessidades. Enquanto ela me beijava eu só pensava... “puta merda, puta merda...”...Puta merda, quando entramos dentro do meu apartamento ela me jogou na parede e tirou sua blusa, ficou só com uma saia que ia até o meio das coxas, tirou minha blusa e nesse momento não era só a saia que aparecia nas coxas dela, tinha algo mais, uma parte minha, em riste, pronta pra ser usada novamente, poizé... Podem me esculhambar nos comentários, mas o que eu deveria ter feito? Pedir pra ela esperar enquanto eu lavava o “pinto” na pia? Dizer que iria tomar banho ou apagar aquele fogo todo com minha urina?. É, devia ter feito isso, mas não fiz.
Esta foi a segunda garota e a terceira trepada daquela noite. A terceira transa aconteceria mais tarde, ou melhor, mais cedo, na manhã do dia seguinte, já tinha combinado com aquela garota e não iria querer desmarcar, a noite de sono era o suficiente pra me deixar pronto para um novo dia, e essa foi a terceira garota em 24 horas da minha vida de solteiro, uma época áurea.
Bem, mas isso tudo foi só pra tentar dar uma idéia de como eu era uma pessoa requisitada, não quero dizer que sou um “Brad Pitt” não, eu sou um cara bonito sim (sem falsa modéstia), até um pouco comum, mas meu forte é a pegada. Porém isso tudo, o meu mundo perfeito, estava prestes a acabar, fui sentindo falta de um compromisso sério, um sentimento mais forte que apenas o desejo, uma pessoa que eu pudesse confiar e contar quando precisasse apenas conversar. Foi ai que apareceu uma garota, bonita, inteligente, que conversava comigo sobre tudo, sobretudo das minhas antigas relações, nos divertíamos com meus causos “amorosos”. Ela me satisfazia por inteiro e assim me sentia completo, sumi do mapa, inclusive dos meus amigos, não que ela tenha feito algo pra isso, eu simplesmente queria ficar com ela, sempre. Mas aquele fogo foi abaixando até se tornar uma brasa que insistia em queimar por mais que eu soprasse, de fato, cada soprada que se dá, a brasa tende a querer queimar mais forte, era o que acontecia naquele namoro. No começo eu achava que era temporário, que iria passar aquele abuso e fui levando aquela relação, até que realizei que o temporário virou permanente, chegamos a um ponto sem saída, a relação estava fadada ao fracasso, que aconteceria mais à frente, por que por um único motivo, não podia acabar o namoro naquele momento. Tínhamos um plano em comum e eu não queria que ela desistisse pelo fim da relação. Arrastei a relação por mais três meses e só faltava um mês para eu terminar o namoro, acontece que durante esses três meses muita coisa aconteceu, nada do que ela falava fazia mais sentido, o sexo? DUAS vezes por MÊS e muito mal dadas, pra mim era inteiramente obrigação transar com ela, não fazia por mim, odiava do fundo do coração transar com ela e a cara de satisfeita que ela fazia depois de uma foda que eu me envergonhava de recordar. Ela sentia que eu me afastava e o fim da relação se aproximava e era justamente isso que a fazia me sufocar, a sensação que dava era de uma pessoa desesperada pra não se afogar e se agarra ao seu pescoço em desespero, levando você pra baixo junto com ela. Eu estava deprimido, dormia com vontade de chorar, sonhava com o término do namoro TODOS OS DIAS (sem exagero) e acordava com a verdadeira vontade de morrer, me envergonhava de tudo que fazia a ela, ela é uma pessoa maravilhosa, linda e tudo o mais que me fez aproximar dela e apesar daquele abuso todo que sentia, por mais insuportável que fosse estar ao lado dela ou saber que estaria em breve, ainda sentia um enorme carinho por ela e isso me deprimia ainda mais, ao mesmo tempo que ficava com raiva dela quando ela chegava, ficava com raiva de mim por sentir isso e um sentimento potencializava o outro, me tornei uma pessoa amarga, estúpida e depressiva. Ela sentia tudo isso, mas evitava tocar no assunto, ela sabia que no momento que o fizesse, era minha deixa pra finalizar a relação, não era covardia minha, não que eu não tivesse coragem de chamar pra conversa, mas eu queria fazer no próximo mês, ela tinha investido naquele sonho e eu me sentiria muito mal se a visse desistir por minha causa. Mas depois de tanta grosseria desnecessária, ela não aguentou, resolveu que iria conversar comigo, me chamou na casa dela e terminei o namoro, enquanto ela chorava, meu coração se fazia em pedaços, fui pra casa triste, chateado comigo mesmo. O mais estranho é que nunca mais sonhei com ela, os sonhos cessaram naquela noite, aos poucos o sentimento de tristeza foi passando e o alívio tomou seu lugar, tudo na minha vida melhorou, pessoalmente e profissionalmente falando. Tirei a barba e voltei a malhar e a correr, mas nem tudo era como era antes. Meus amigos.. todos namorando... Meus antigos rolos estavam namorando, ou desapareceram, uma até se casou, não tinha mais contato com quase nenhuma delas, só com as comprometidas. Até que um belo dia encontrei com uma, essa garota estava afim de mim antes de eu começar aquele namoro, me contou que chorou muito quando comecei a namorar, o ponto positivo foi que fui sincero, conversei com ela antes, disse que iria começar um namoro, que comecei a gostar de uma pessoa e iria querer ver no que dava. O ponto negativo.. foi que eu fui sincero, nunca deveria ter dito que a estava trocando por outra mulher e aquela mágoa ela não estava disposta a esquecer tão fácil. Fui logo dizendo da falta que sentia em conversar com ela, de tomar uma cerveja com ela e ficar conversando besteira, disse que queria retomar a nossa amizade e ela foi bem clara ao dizer que não haveria problema em retomar a nossa amizade, apenas amizade, “quem não tem cão”... Aceitei a amizade, se não pegasse ela, pegaria as amigas, na primeira vez que saímos juntos terminamos no meu apartamento, como sempre fazíamos, mas ela deixava bem claro que não iríamos ficar, mas era estranho ela ir pro meu apartamento igual como fazíamos antes, ou ela estava querendo ficar comigo, ou querendo que eu tentasse só pra ter o gostinho da vingança, “quem está na chuva”... Entrei no jogo dela, ela me dizia que não tinha a mínima possibilidade de ficar comigo e que ela estava ali apenas como amiga, eu disse que sabia disso e compartilhava com ela do mesmo sentimento e que apesar de já ter bebido e de tudo que havíamos tido no passado eu não estava nem com vontade de ficar com ela.. “Acho que é isso a verdadeira amizade, né?”, disse eu à ela. Meu irmão.. você precisava ver o rosto dela, o olho ficou meio fechadinho, sabe como é? Enquanto me encarava, nenhum músculo do rosto dela se movia, ela nem piscava, por um certo momento tive a impressão que ela tinha até parado de respirar. Pensei que ela iria pedir pra deixá-la em casa nesse momento, tinha ido longe demais, foi muito arriscado falar tudo aquilo daquela forma, eu quis mexer com ela, ela tinha se sentado longe de mim, me evitando, como todas fazem numa situação como essa, ela não dava nenhuma abertura e eu tive que usar essa medida drástica. Não demorei muito pra deita no colo dela para ouvi-la dizer: “Nem comece”. Disse que ela estava paranóica, "Tô apenas carente, deixa eu ficar aqui um pouquinho”, não entenda errado essa frase, o tom não foi de “menininho coitadinho que acabou de acabar o namoro”, ela teria me jogado pela varanda e a queda não seria nada boa... falei sorrindo, com cara de safado, do jeito que elas gostam. O resto vocês já sabem, ela nem resistiu muito, foi muito parecido com um caso que já contei antes por aqui, provando a efetividade do método. Tudo teria sido bem mais fácil se eu não tivesse despresado a garota, algumas vezes já quebrei a cara também, principalmente quando a outra parte tinha planos de namorar comigo, mesmo depois de alguns anos, elas continuaram a me evitar, portanto fica aqui a dica: "Evite cortar as raízes".

5 comentários:

Lily disse...

Essa do cortar as raízes não é só vcs q fazem isso!
Eu tb tenho meus stand bys!
Aliás, o cara citado no meu último post é meio q um stand by eterno pra mim! rsrs
Mas o fato é q nem sempre eu tô a fim de recorrer a eles!
Então, às vezes prefiro ficar só.

Bjkssss

Lily disse...

*Essa do NÃO cortar...

brunin disse...

mto legal...a historia e a dica

+ seria tb legal vc comentar sobre linguagem corporal

Leandro Ravaglia disse...

O truque é deixar alguma coisa na casa da dita cuja:

- Pô aí, tô precisando daquele livro que eu te emprestei. Posso passar aí?
- Porra, 3 da manhã
- Pois é... é que eu tô com muita vontade de ler.

rsrs

Anônimo disse...

O problema é quando não corta em definitivo e a ex-louca-obsecada não sai do pé. O cara já tá em outra e ela tá lá, correndo atrás e se achando. Pode acabar estragando a intenção de ter algo mais sério com a atual, se ela desconfiar que o cara ainda encontra a ex.