quarta-feira, 21 de maio de 2008

Você por aqui?

Eis que você sai com seus amigos pra se divertir e esbarra com um rosto conhecido entre os demais. Não é um rosto qualquer, é o rosto “dela”. Ai entra os vários fatores que o destino nos reservou: Ela está sozinha ou acompanhada? Você quer dar mais alguns “pegas” nela ou quer apenas deixá-la na vontade? Ela lhe viu ou está próxima a você, sem perceber a sua presença?...

O truque está escondido nas barbas da indiferença, seja qual for a sua situação, indiferença é a palavra chave, porém em níveis diferentes. A melhor companheira da indiferença chama-se naturalidade, não force uma aproximação, não vá correndo de encontro a ela, se possível o ideal seria evitá-la, fazer com que ela venha até você.

Mas vamos ao que interessa..

Situação 1) Você dá de cara com ela.

Tá, não vou tirar pontos seus, se de repente, você esbarra nela, o coração acelerou, o sorriso bobo apareceu, os olhos brilharam, você coçou o nariz com as mãos trêmulas, mas você está desclassificado se falar: “Que bom te encontrar por aqui..”. O ideal seria cumprimentá-la como você faria com qualquer pessoa conhecida, mas não amiga, apenas conhecida e que você vá com a cara dela... “Como é que você tá?”, perguntar sobre a faculdade, os projetos, os problemas que ela tinha.. qualquer coisa que mostre que você lembra das suas conversas é um ponto positivo, mulheres gostam de quem se preocupam com elas, ouça sem entusiasmo, sem euforia, um leve sorriso no rosto, corpo levemente arqueado em sua direção, as mãos nunca devem ficar soltas, balançando no ar, isso é comportamento de gente sem atitude, gesticule, alise o seu peito, a sua barriga, coloque as mãos na cintura, no bolso da calça, de trás ou da frente e deixe o corpo um pouco arqueado para um dos lados, fique alternando, só não fique com a mão no bolso a hora toda, mumificado. Depois de um certo tempo, se você conseguir manter uma conversa envolvente e ela continuar conversando ali ao seu lado, você pode arriscar tocá-la, principalmente numa boate. Coloque a mão na cintura da garota ou na parte de baixo das suas costas, na região lombar, se incline e fale bem próximo ao ouvidinho dela, se ela estiver afim ela vai ficar imóvel, reta, tensa, desde a sua aproximação até o seu afastamento, após fazer isso algumas vezes, se ela continuar ali... você tem grandes chances de abrir o score da noite.
Contato visual diz muito, tente ler os olhos dela, olhe atentamente para ela, no início você pode até quebrar esse contato, vai deixá-la mais insegura, mas se você exagerar em passar insegurança pra ela... ela vai voltar pras amigas, só quebre o olhar rapidamente, principalmente quando VOCÊ estiver falando, gesticule alguma coisa, vire a cabeça rapidamente de lado e volte de imediato a olhar pra ela. Depois, quando a conversa já estiver mais envolvente, não tire os olhos dos olhos dela.. e o resto... seja natural..

Situação 2) Ela está perto e não está acompanhada.

Essa é a minha predileta, é fácil de saber quais as intenções dela. Mas pra isso, ela precisa saber que você está ali. Sinceramente... inicialmente eu não vou lá falar com ela, eu me posiciono num lugar fácil pra ela me achar no meio da multidão, quando os olhares se cruzarem, faça um cumprimento discreto, mas que ela possa notar, se ela vier ao seu encontro, geralmente não é uma atitude meio positiva pro seu lado, digo isso pelo fato de que normalmente as mulheres quando encontram o “paquera” ficam sem jeito, trêmulas, sem saber como reagir, então.. ir falar com você, sem o controle dos seus próprios atos, é mais difícil, porém... existem aquelas mais atiradinhas, mais interessadas.. vai depender do estilo de cada uma.. Se ela for falar com você, tente seguir os passos da Situação 1.
Mas ela deu um sorriso constrangido, deu um xauzinho e ficou no canto dela, calma... preste atenção DISCRETAMENTE (pra não dizer imperceptivelmente), nas amigas dela, pode ter certeza, mas certeza absoluta, que se ela for afim de você, ela vai comentar com as amigas e logo, logo.. um par de olhos curiosos das amigas irão vasculhar a área na qual você se encontra. Agora... se ela mudar de lugar.. for embora... meu amigo, prepare-se para amargurar a desilusão dos platônicos.
Porém, ela está no mesmo canto, como se nada tivesse acontecido.. Mude de lugar, fique um pouquinho mais do lado, com “um olho no padre e outro na missa”, atento a qualquer movimento dela, se ela começar a lhe procurar no ambiente.. bingo!! Geralmente ou ela ou a amiga começa a lhe procurar, olhando pra onde você estava e ao perceber que não está mais ali, começam a vasculhar o campo visual das proximidades. Nesse momento olhe nos olhos de quem está lhe procurando, quando ela bater os olhos nos seus, imediatamente para de procurar, não quer que você perceba que está lhe procurando e quando nota que você percebeu a procura dela, ela não sabe como reagir e repentinamente desvia o olhar, geralmente olhando para baixo.
Esse é o momento que você está liberado pra ir até lá, mais abaixo segue um relato numa situação parecida.

Situação 3) Ela está perto, mas acompanhada.

Ai não tem muita coisa pra fazer, vá lá falar com ela, como se não tivesse com vontade de gritar, fale educadamente com o companheiro dela, o idiota não sabe que você já trafegou pelas curvas que ele provavelmente não sabe nem como guiar. Passe pouco tempo por ali, agora sim você pode dizer “bom te ver”, com um sorriso sacana na boca. Seria legal você não ficar com ninguém na frente dela, a não ser que você queira provocá-la, o que pode ser bem arriscado. Fique por perto, dê umas leves olhadas pra ela, mas respeite o cara que tá com ela, ele não tem culpa nenhuma de ter bom gosto.

Umas belas vezes... Encontrei com uma garota que eu ficava, mas como eu não queria namorar, ela estava me evitando, ela era uma delícia e eu invejado pelos meus amigos, passei por ela e soltei uma piadinha e ela me respondeu de forma meio ríspida.. não gostei. Sai um pouco pra longe dela e no meio da multidão a avistei na minha frente com uma das amigas, vi quando ela percebeu a minha presença e quando a amiga dela veio me procurar no meio do povo. Continuei ali parado com cara de poucos amigos, olhava pra ela com ar sério e vez ou outra ela virava para trás, fitando-me. Logo apareceu uma garota que eu já conhecia, na verdade ela já tinha sido apaixonada por mim, chegou a chorar numa balada se declarando pra mim. Essa era muito cara de pau, nesse dia eu até comecei a pensar em namorá-la, até descobrir uma semana depois que ela tinha transado com um dos meus melhores amigos, poucos dias antes dela me procurar chorando... mas deixemos pra depois esse causo. Comecei a dar condição pra a garota chorona, ela me pediu para acompanhá-la ao banheiro, quando ela saiu, ficamos no meio do caminho conversando e comecei a dar minhas investidas nela, ela se esquivava, ficava rindo e olhando pra minha boca.. essas coisas que as pseudo-moralistas fazem, era só uma questão de tempo. Foi quando eu vi a outra garota vindo em minha direção, por trás da que eu estava conversando naquele momento. Ela vinha andando com cara de ódio, olhava pra mim séria, com o nariz meio empinado, juro que fiquei hipnotizado, aqueles poucos segundos duraram minutos em slow motion, ela com aquele olhar assassino estava linda, seus cabelos balançavam de um lado para outro, por trás daquele seu corpo delicioso. Acho que a cerveja ajudou um pouco.. e eu ainda guardava um certo rancor daquela garota paraguaia, não suporto gente falsa (tá... eu suporto quando quero transar), ela ainda com essa mania de dar uma de difícil.. hummm.. não deu certo, quando a assassina chegou perto, dei um passo pro lado e a puxei de encontro aos meus braços. Foi cena de cinema e o beijo também, eu queria dar uma lição nessa garota geniosa, mas acabei aprendendo que isso é perda de tempo, voltei com ela pra minha casa e a tratei como toda rainha deve ser tratada na cama.
Uma outra bela vez, essa faz tempo.. Encontrei uma ex ficante na balada, fazia algum tempo que não tinha o menor contato com ela e me comportei da mesma forma. Fiquei de longe olhando pra ela e percebendo que ela ficava me olhando por sobre os ombros. Avisei pros meus amigos e fiquei desatento, eles me relatavam cada investida que aqueles olhos davam. Desloquei-me pro outro lado, notei quando ela me procurou por todo salão e me achou, virando a cabeça rapidamente pra frente, fui pra outro canto e a mesma reação, decidi então ser um pouco mais ousado, fiquei parado imediatamente atrás dela, olhava pro palco como se não percebesse a sua presença na minha frente. Quando a amiga dela percebeu, virou de costas para cobrir o riso, foi quando ela percebeu e virou pra trás, dando de cara comigo, olhando pra ela e sorrindo. Ela ficou pálida, olhar surpreso e sem saber o que falar.. soltou um “Oi.. Tudo bom?”. Aquilo só me tornou o dono da situação, demonstrar isso só faz de você um esnobe, guarde pra si suas convicções. Começamos a conversar animadamente, fiz meu papel de menino tímido algumas vezes e sedutor em outras, quando ela já havia esquecido a presença da sua amiga às suas costas, chamei para ficar no bar, ficamos conversando de forma bem natural, sem nos importarmos com nada, até demoramos um pouco pra dar o primeiro beijo da noite, mas ele surgiu como deveria.. de uma forma bem natural.

8 comentários:

Zek disse...

Grande cafa !!!! tuas historias ja me deram varias dicas ........ mas algumas situações são bem constrangedoras mesmo rsrsrrs

no fio da navalha disse...

já leu nelson rodrigues. suas histórias são recheadas de cafajestes e canalhas. talvez vc possa beber alguma coisa de lá.

Graziele Alencar disse...

Eu nem sabia que os homens também contavam com a ajuda dos amigos pra essas coisas (pra observar, por exemplo)...
Eu acabo aprendendo sobre vocês aqui! rsss
Boa semana pra você!
Beijos.

Anônimo disse...

Demorou pra postar dessa vez..
Sempre passo por aqui para ler as tuas histórias e as do cafajeste para mulheres..
São bem divertidas aehsouhas
Parabêns aew e vê se não pára de postar hein ouaehshu
flw abraço!

Lily disse...

nossa! é bom ver q vcs tb ficam nervosos, indecisos, olhos brilham, pinta o sorriso bobo, etc, etc...

tão bom ver q vcs são humanos!

bjksss

Renata disse...

Hahaha! Homem assumindo insegurança dá um certo alívio... Porque, sério, parece que só nós somos bobas, inseguras e queremos saber o que o outro está sentindo/pensando.

Bjs!

Anônimo disse...

ô cafinha lindo, gostosinho.
não nos abandone...
estamos com saudades dos seus textos.

;)

Anônimo disse...

Fala Cafa.
Na boa, seu blog é legal, mas nada que os caras não saibam...Alguns inexperientes buscando impressionar alguém podem até seguir seu conselho, mas acho que tem coisas que não se seguem a risca...
Ser indiferente, por exemplo, pode ser muito bom pra alguém, muito ruim pra outrem...
Enfim...Fato:Quando duas pessoas se querem de verdade, elas não vão fazer drama, fazer doce, nem salgado, e sim fazer de tudo pra ficarem juntas,se agarrando e se admirando, isso não se define nem se treina.A única coisa q se vai conseguir com isso é ser rotulado "cafa", grandes merda isso, não foi assim que conquistei os caras q sempre quis, que não tinham vergonha de agradar e tbm não poupei esforços pra agradá-los, isso é uma verdade máxima, equilíbrio e fugir da rotina.
Abraço, Nana